O segredo do sonho

Menino: Ô mãe, obrigado!

Mãe: Obrigado pelo que, menino?

Menino: Obrigado pelo sonho. Eu estava com fome e comi.

Mãe: Ah! Não agradeça a mim. Comprei no padeiro. Agradeça a ele!

Menino: Oi Sr. Padeiro! Hoje eu estava com fome, vi um sonho em cima da mesa e comi. Quando fui agradecer à minha mãe ela me disse: “Não agradeça a mim, agradeça ao padeiro.” Então, Sr. Padeiro, muito obrigado pelo sonho.

Sr. Padeiro: Ah, menino! Você não deve me agradecer. Eu só fiz o sonho porque o agricultor plantou o trigo. Então, agradeça a ele pelo sonho que você comeu.

Menino: Sr. Agricultor!! Hoje eu estava com fome, vi um sonho em cima da mesa e comi. Fui agradecer à minha mãe e ela me disse: “Não me agradeça; agradeça ao padeiro.” Então eu agradeci ao padeiro e ele disse: “Não me agradeça; agradeça ao agricultor que plantou o trigo com que eu fiz o sonho.” Assim, Sr. Agricultor, muito obrigado pelo sonho.

Sr. Agricultor: Ora, menino!! Não me agradeça pelo sonho. Eu não poderia fazer o trigo crescer. Eu plantei e colhi o trigo e levei a farinha ao padeiro; mas, se não fosse o sol, o trigo não amadureceria. Então, agradeça ao sol.

Menino: Sr. Sol!! Hoje eu estava com fome, vi um sonho em cima da mesa e comi. Fui agradecer à minha mãe e ela me disse: “Não me agradeça; agradeça ao padeiro.” Então eu agradeci ao padeiro e ele disse: “Não me agradeça; agradeça ao agricultor.” Eu agradeci ao agricultor, mas ele disse: “Não me agradeça; agradeça ao sol. É ele que faz amadurecer o trigo.” Portanto, Sr. Sol, muito obrigado pelo sonho.

Sr. Sol: Não me agradeça pelo sonho! Só com meus raios fortes, eu queimaria a plantação. Se não fosse a chuva a semente do trigo não germinaria.

Menino: Oi Dona Chuva!! Hoje eu estava com fome, vi um sonho em cima da mesa e comi. Fui agradecer à minha mãe e ela me disse: “Não me agradeça; agradeça ao padeiro.” Então eu agradeci ao padeiro e ele disse: “Não me agradeça; agradeça ao agricultor.” Eu agradeci ao agricultor, mas ele disse: “Não me agradeça; agradeça ao sol.” Eu agradeci ao sol, mas ele disse: “Não me agradeça; agradeça à chuva que fez a semente do trigo germinar.” Por isso, Dona Chuva, muito obrigado pelo sonho.

Dona Chuva: Não me agradeça!! Eu não poderia fazer nenhum grão de trigo. Você deve agradecer a Deus, que dá a vida a todas as coisas.

Menino: Deus!! Hoje eu estava com fome, vi um sonho em cima da mesa e comi. Fui agradecer à minha mãe e ela me disse: “Não me agradeça; agradeça ao padeiro.” Então eu agradeci ao padeiro e ele disse: “Não me agradeça; agradeça ao agricultor.” Eu agradeci ao agricultor, mas ele disse: “Não me agradeça; agradeça ao sol.” Eu agradeci ao sol, mas ele disse: “Não me agradeça, agradeça à chuva.” Eu agradeci à chuva, mas ela disse: “Não me agradeça, agradeça a Deus que dá vida a tudo quanto existe.” Portanto, Sr. Deus, muito obrigado pelo sonho.

 



Adaptao de texto infantil de autoria ignorada.

Envie seu cartão

De:

Para:

© Federação Espírita do Paraná - 20/11/2014